06/06/2017 10h36

Após deixar Ituano, técnico Tarcísio Pugliese retoma projeto extra-campo


Por: Tuddo Comunicação

O técnico Tarcísio Pugliese fez história no Ituano. Durante 2 anos e 9 meses, o treinador comandou o Galo de Itu na melhor campanha do time na Copa do Brasil e foi o técnico mais longevo da história do clube, sendo o segundo que mais jogos trabalhou no Ituano. Neste período foram 87 jogos com 38 vitórias, 22 empates e 27 derrotas.

Tarcísio deixou o time de Itu no começo de março e agora resolveu voltar a se dedicar a um projeto extra-campo, enquanto não surge uma nova oportunidade para comandar uma equipe.

Trata-se de um site com palestras/cursos voltados para quem quer trabalhar com futebol. O projeto, que no começo era social, se chama “Caminhos do Futebol” e mesmo não sendo atualizado desde outubro, tem muitos acessos.

“Como nunca joguei futebol tive muita dificuldade de entrar nesse meio. Então tive a ideia de fazer um site para ajudar as pessoas que não conseguem entrar, já que é um meio bem fechado. A ideia era de ajudar as pessoas com dicas do que acontece no futebol e orientar de como buscar um caminho menos difícil. Comecei com uma página no facebook e nos primeiros meses já tinha muitas curtidas”.

“Já estava no Ituano quando resolvi parar com o projeto, porque quando comecei a ideia não era financeira. Então tomou uma proporção que eu não imaginava e muita gente começou a pedir um curso. Então fiz um curso, vendi e tomou uma proporção muito grande. Como estava no Ituano não consegui conciliar as duas coisas. O site começou inclusive a dar problemas devido ao grande número de acessos, então resolvi parar. Agora já estou com novas ideias e vou retomar esse projeto”, contou Tarcísio.

Os treinamentos são voltados para as atividades táticas e técnicas. Apenas o canal no youtube, sendo que nunca foi divulgado, possui 21 mil inscritos. Na página do facebook são mais de 50 mil.

“Apenas no facebook recebia muitos pedidos para gravar vídeos sobre alguns questionamentos. Tinha dia que recebia 200 mensagens. A maior parte do público era de gente que queria ser jogador. Agora que estou retomando o projeto, quero continuar falando para esse pessoal, até pela questão social, mas o público alvo serão os treinadores”.

Como não tinha intenção financeira, os vídeos foram sempre caseiros, até que chegou uma hora que isso teve que mudar. Empresários, jogadores e até a jogadora Marta deram depoimento no canal.

“No começo minha esposa me ajudava nas gravações, depois conheci um rapaz que editava os vídeos. Era algo muito amador, feito na amizade. Nunca anunciei o curso, então fui dar uma palestra no Sindicato dos Treinadores e o negócio cresceu”.

“Devido à proporção que teve achei que seria legal trazer outras pessoas para contar como chegaram no futebol e como foi o caminho até chegar no estágio em que estão. Convidei para participar pessoas vistas como espelho para quem está começando. Contar a dificuldade que teve, pois recebi muita mensagem de gente que não tinha noção de como as coisas acontecem no futebol”, falou Tarcísio Pugliese que acredita que a reciclagem faz parte do amadurecimento do trabalho do treinador.

“Acho fundamental estudar. Quem não se prepara fica de fora do mercado. Não tenho dúvidas de que o cara que jogou, em alto nível, se preparando bastante vai estar na minha frente, porque eu não vivenciei a situação do atleta. Vai ter uma experiência maior do que eu que não joguei. Entre o cara que jogou e não estudou e o cara que não jogou e estudou, acredito muito mais no cara que não jogou e estudou. É fundamental estudar”, concluiu Tarcísio.